sábado, 2 de maio de 2009

PARA VIVER


Vivo contente e confiante em mim não me alegra
O desespero alheio e descontente comigo mesmo
Qual o meu longo fim sinto-me repulsivo pelos
Próprios meios que aqui venho.
E o teu nome é feito água, pai,amada eu sou levarei
Comigo bem guardado como é doce a lembrança de
Todos os que conhecem você e que pra mim responde mais.
Para que Deus com sua bondade mim perdoe por caridade
Sou poeta da velocidade, natureza e bem amado,sou feliz
Como sou o teu nome e feito de amor.
Só mesmo o brilho do passado da humanidade com tua força
Recomeçou à moral mim confundiu o pai, também semelhante é
Igual que triste destino o meu.
Tão bom eu me ufano a todos nós o dedico o meu alento com
Amor à bondade assim eu prego: não nasci para viver no
Sofrimento das maldades que os reprime a humanidade eu
Renego.
Vou viver para em cantar com poesia transformar que Deus
Abençoe a humanidade com amor eu irei reger meu canto a
Felicidade á Deus com amou.
Autora:

Fátima Araújo.