segunda-feira, 23 de junho de 2014

A Dama de Vermelho.




Das trevas surgiu a dama... Pegou-me de surpresa, reagi, gritei, jogou-me na cama de caçador...
Tornei-me presa, estremeci me entreguei... Num vermelho ambiente... Sua língua de mulher... Deixando-me saliente...
Percorreu todo o meu corpo... Sem perguntar... Você quer? Mas mesmo reagindo... Com todo esse conforto...
Encheu meu corpo de gozo... E acabei sorrindo...





De: Fátima Araujo.